feliz pascoa na gaspoint

inc_menu

Ver nosso registro no site do INMETRO

Veja aqui nosso registro no INMETRO

.:: A escolha do cilindro de GNV

ATENÇÃO: A GásPoint não faz mais conversão de veículos para GNV
.: A escolha do mais adequado (tamanho e tipo)


Quem quer saber qual o kit (equipamento) adequado para seu carro, deve começar por aqui .

O problema primordial: Se você quer muita autonomia, precisa de cilindros maiores e irá perder mais espaço no portamalas.

.: O mais comum: 15m³ = 180km = R$20,00*
* valores médios

Temos algumas sugestões :

1 - O cilindro mais comum é o de 15m³. Você vai rodar por volta de 180km com a maioria dos carros médios e vai gastar R$20,00 para abastecer.

Veja como fica:

cilindro de 15m³ no vectra- gaspoint Ao lado temos um Vectra com o cilindro de 15m³ no portamalas.
Toyota Corolla com o cilindro de 15m³ corolla cilindro 15m³ gaspoint
Corsa Sedan com o cilindro de 15m³
Cilindro 15m³ - Equivale a cerca de 21 litros de gasolina ou 28 litros de etanol.
Fica ótimo em:
cilindro 15m³ GNV gaspoint Corsa Sedan
Vectra
Astra
Picapes
Escort
Monza
Santana
Parati
Peruas, etc..
Quanto custa para abastecer? R$20,00
Quanto roda? (é mais ou menos, viu?) 180km
 
.: 2 cilindros de 7,5m³

2 - Uma opção bastante comum, que fica ótimo em carros hatch e pequenos em geral, além de poder ser instalado por baixo em vários modelos é usarmos dois cilindros de 7,5m³

2 cilindros de 7,5m³ - Equivale a cerca de 20 litros de gasolina ou 26 litros de etanol em carros médios/pequenos.
Fica melhor em
dois cilindros de 7,5m³ Gol , Uno (deitados), Palio , Fiesta (deitados), Celta , Corsa , 206 , Clio e demais pequenos.

Veja como fica

O porta-malas do Gol sofre uma redução média de 40% do espaço quando usa 2 cilindros de 7,5m³, mas roda quase 270km na estrada com apenas R$20,00

cilindros no corsa
Exemplo:
O Corsa Sedan pode receber dois cilindros de 7,5m³, veja o espaço que sobra no porta-malas

Esta solução é bastante interessante para quem roda cerca de 90 a 120km/dia e acha o cilindro de 15,5m³ muito grande. Eles podem ser utilizados, um sobre o outro ou então deitados, dependendo do carro e dependendo do uso do porta-malas. Será que eles cabem no seu carro? Veja aqui.
cilindros de 7,5 no astra

 
.: O mais barato (e menor)
1 Cilindro 7,5m³ - Equivale a cerca de 10 litros de gasolina ou 13 litros de etanol em carros médios/pequenos (média de 10km/l).
Fica ótimo em
cilindro 7,5 Gol, Uno, Palio, Fiesta, Celta, Corsa, 206, Clio, e demais pequenos.
Quanto custa para abastecer? R$10,00
Quanto roda? +- 90km

O cilindro acima é o de 7,5m³. Trata-se do menor cilindro disponível Ele tem apenas 24cm de diâmetro e na maioria dos carros pequenos, consegue rodar cerca de 100km, com apenas R$8,00. É perfeito para quem roda pouco ou não quer perder quase nada de espaço e faz questão absoluta de encher o porta-malas com todas as tralhas que for possível.

Há também o cilindro de 9,5m³, que é um pouquinho mais gordinho que o de 7,5m³ e proporciona cerca de 20 a 30 km a mais de autonomia.

.: Os maiorzinhos...

Cilindro de 17m³ - Equivale a cerca de 25 litros de gasolina ou 31 litros de etanol em carros grandes/médios

Fica melhor em
cilindro de 18m³ Omega
Vectra
Blazer
Monza
Santana
Parati
Picasso
Dobló
Meriva , etc
Quanto custa abastecer? R$23,00
Quanto roda? +- 230km

O cilindro de 17m³ é um pouco maior. Tem o mesmo diâmetro do de 15, mas é um pouquinho mais comprido.
Fica bem em carros grandes que rodam bastante, mas não cabem em carros pequenos. Veja aqui na página de seu carro para saber se este cilindro pode ser utilizado.

Cilindro de 21m³ - Equivale a cerca de 19 litros de gasolina ou 25 litros de etanol em carros grandes/médios

Fica bom em
cilindro 21m3 gaspoint gnv Omega
Vectra
Blazer
Monza
Santana
Parati
Picasso
Dobló
Meriva , etc
Quanto custa abastecer? R$28,00
Quanto roda? +- 270km


O cilindro de 21m³ faz parte de uma linha especial de cilindros de grande diâmetro. Eles são mais caros, mas são leves e conseguem grande capacidade de abastecimento cabendo até em alguns carros pequenos.

Também faz parte dessa linha o cilindrão de 25m³ extra leve que cabe entre as caixas de rodas da Blazer, S10, Ranger, Explorer e vários outros.

Cilindro de 24,5m³ - Equivale a cerca de 22 litros de gasolina ou 30 litros de etanol em picapes que gastam cerca de 7km/l.
Fica melhor em
cilindro de 25m³ Picapes em geral, furgões, vans grandes.

 

Clique aqui para saber se no seu carro pode ser usado este cilindro.

Cilindros por baixo

Em alguns carros isto é possível, porém sempre significa alterações mais drásticas, inclusive com substituição do escapamento, como é o caso em todos os carros, com exceção das picapes grandes como S10 , Ranger e Dakota ou na Blazer . Nesta última, a colocação dos cilindros por baixo é uma operação pouco recomendada, pois obriga a alterações muito complexas na suspensão e que podem comprometer a dirigibilidade.

 

cilindros por baixo zafira
Aqui, vemos a instalação de dois cilindros de 7,5m³ por baixo da Zafira . O estepe foi para dentro do porta-malas.

Quando seu carro possui o estepe embaixo, é possível retira-lo para colocar os cilindros naquele lugar. Neste caso, apesar de teoricamente contar com a preservação do espaço no porta-malas, você tem que enfrentar duas situações não muito favoráveis.

  1. Você fica sem ter onde colocar o estepe, que acaba indo para dentro do porta-malas, trocando seis por meia dúzia e ainda pagando mais caro. Será que vale a pena?
  2. Teremos de trocar o escapamento, isto custa em média R$300,00.

Na verdade, apenas recomendaríamos a colocação em alguns poucos carros, como aqueles que já possuem o estepe do lado de fora: Dobló Adventure e Ecosport (lembre-se que na 4x4, não cabem cilindros por baixo por causa do diferencial).

Alguns carros possuem a caixa do estepe embaixo do carro, o que impossibilitaria a instalação de cilindros naquele local, como é o caso do Fiat Idea e da GM Meriva . Entretanto, é fácil ver estes carros circulando pelas ruas de São Paulo com cilindros instalados por baixo. Como é possível? Simples, seus donos contrataram os serviços de um funileiro que removeu ou modificou a caixa do estepe elevando-o ou retirando-o completamente daquele local, abrindo espaço para a colocação do cilindro. Pode parecer assustador, afinal a seguradora certamente irá se recusar a manter seus serviços diante de uma modificação na lataria original do veículo, o que é claro, compromente a segurança. Assim, não recomendamos esta modificação; lembre-se que "não recomendar" não quer dizer "condenar".

Do que o cilindro é feito?

Os cilindros antigos, eram feitos em uma liga chamada Médio-Manganês. Eram cilindros muito pesados que quase sempre obrigavam a troca das molas traseiras do carro. Hoje em dia, além de estamos utilizando ligas mais leves, como o Cromo-Molibdênio, muitos cilindros são inclusive construídos utilizando processos de produção mais modernos.

Como o cilindro é construído?

Como você viu no parágrafo anterior, os processos de produção de alguns tipos de cilindros são diferentes. Assim, onde o cilindro era originalmente construído a partir de um tubo (processo SPUM), onde a máquina estragula suas pontas, temos também cilindros construídos a partir de chapas através de um processo de repuxo, o que representa uma redução de peso de cerca de 25%. Somente a White Martins possui no Brasil, maquinário adequado para esta tecnologia. O equipamento necessário para fazer o repuxo em um cilindro é caríssimo e daí os preços de alguns cilindros maiores, como o de 21m³ e o de 26,5m³. Já os pequenos de 7,5m³ e o de 9,5m³ não ficaram mais caros.

Mas qual a vantagem deste novo processo? E a redução drástica de peso. Um cilindro de 9,5m³, por exemplo, que antigamente pesava mais de 50kg, quando feito pelo processo antigo e com a liga de médio-manganês. Hoje, um cilindro destes pesa apenas 33kg.

cilindro cortado

.: Capacidade de abastecimento

Afinal, quanto gás realmente cabe no cilindro?

Alguns clientes chamam atenção para o fato que nem sempre, a quantidade de metros cúbicos declarada pela convertedora é a quantidade que se consegue abastecer nos postos, especialmente em dias de calor.

Isto acontece devido às leis físicas da teoria cinética dos gases. Quando você comprime um gás, suas moléculas tendem a se juntar reduzindo a velocidade de movimento entre elas. Esta energia acumulada é transformada em calor. O calor faz com que o gás se expanda fazendo com que caiba menos gás dentro do cilindro. Quanto mais quente estiver o cilindro e consequentemente o gás dentro dele, menos gás irá caber.
Em postos muito movimentados, os compressores funcionam quase que intermitentemente, bombeando gás para os reservatórios. O funcionamento constante dos compressores do posto, eleva muito a temperatura do gás fazendo com que caiba menos no abastecimento. Se além disto, estiver fazendo calor, fatalmente irá caber menos combustível no cilindro.

calorpressaovolume

Você mesmo pode comprovar isto, observando uma bomba de encher pneu de bicicleta. Ela aquece rapidamente pois estamos comprimindo ar dentro dela.
Experimente também segurar uma seringa de injeção com o êmbolo todo aberto, tampando a saída com seu polegar. Ao comprimir o êmbolo, você sentirá o ar comprimido dentro da seringa esquentar sua mão. Segure assim durante alguns segundos. Ao relaxar o êmbolo, você verá que ele terá a tendência de pular fora, como se "mais ar" tivesse entrado dentro da seringa. Isto acontece porque o ar aquecido ocupa mais espaço.

Quanto maior o cilindro, maior a massa total e menor a capacidade de dissipação do calor. Assim, cilindros pequenos não esquentam tanto, e perdem calor mais rápido que cilindros grandes.

A teoria cinética dos gases é regida pela seguinte equação:

PA/TA=PD/TD, onde:

  • PA = pressão antes
  • PD = pressão depois
  • TA = temperatura antes (em graus Kelvin)
  • TD = temperatura depois (em graus Kelvin)

Assim, numa situação hipotética, vamos imaginar um cilindro qualquer, abastecido com 220bar de pressão a uma temperatura de 13º (286ºK). Num abastecimento, a temperatura do gás pode chegar a mais de 60ºC. Vamos imaginar apenas 50ºC para não forçar a barra, o que dá 323ºK.

220x25/286= 248bar

Agora uma regra de três simples onde 248 bar são 25m³, teríamos na realidade (já que a bomba pára de abastecer quando chegamos aos 220bar):

220x25/248 = 19,23, ou seja, num cilindro que cabem 25m³ a 13ºC (capacidade divulgada pela fábrica), quando estamos com 50ºC, cabem apenas 19,23m³

Na tabela abaixo, vemos as diferentes capacidades em M³ para diferentes temperaturas em um cilindro de 100 litros.:

Tabela de capacidades de cilindros (ref cil 100 litros)
Temperatura
Capacidade
0ºC
28,13m³
3ºC
27,5m³
6ºC
26,8m³
13ºC
25m³
21ºC
23,7m³
30ºC
21,8m³
36ºC
20,63m³
42ºC
19,4m³

Assim, a temperatura ambiente, assim como a quantidade de veículos abastecendo naquele momento e a pressão da bomba do posto irá variar bastante e consequentemente provocar importantes variações na quantidade de combustível que irá caber no cilindro.

Mesmo que o dia estiver frio, o que conta é a temperatura do gás, que fatalmente irá aumentar bastante com a compressão, reduzindo a capacidade. Uma dica? Vai viajar amanhã? abasteça hoje e amanhã cedo faça-o novamente, sempre cabe mais um pouquinho.

Portanto, quando sua convertedora lhe vendeu um cilindro de 97 litros onde teoricamente caberiam 24,75m³, parte-se do princípio que o gás está a 13ºC e não a 50ºC como é muito comum em abastecimentos feitos em postos lotados de gente e em dias de muito calor.
Ainda estamos considerando que realmente o posto está abastecendo com 220 bar, o que frequentemente não acontece. Na Argentina, por exemplo, a pressão de trabalho é de 180 bar.

Finalmente, os cilindros são construídos obedecendo dimensões de comprimento e diâmetro. É impossível saber quantos litros e mais ainda, quantos metros cúbicos irão realmente caber dentro deles. Uma vez que o cilindro está pronto, a fábrica mede a capacidade em litros (que possui uma variação normal de até 5%) e grava este número na carcaça do cilindro. Assim, um cilindro de 100 litros pode ter na verdade de 95 a 105 litros, o que representa nem meio metro cúbico de diferença.
Você não está sendo lesado pela convertedora, e sim, pelo puro exercício das leis da física, e neste caso, não consiste delito, nem crime, nem sequer pecado.

.: Qual a segurança?

Um cilindro de GNV é mais seguro que qualquer tanque de gasolina ou de etanol. Todos os acidentes que aconteceram em postos, com raríssimas exceções, envolveram incêndio por gasolina ou etanol. As explosões que foram catalogadas, envolviam botijões de cozinha ou cilindros de empilhadeiras, o que é completamente errado, proibido, para não dizer insano.

Um cilindro de GNV trabalha com uma pressão máxima de 250bar, enquanto que a pressão de ruptura chega a 900bar, ou seja, nenhum compressor de posto é capaz de produzir tamanha pressão. Além disto ele possui válvulas de proteção que liberam o gás em caso de aumento de pressão (causado por um incêndio no veículo, por exemplo) ou evitam o vazamento repentino no caso de ruptura da tubulação em um acidente, por exemplo.

manometro

Além disto, o gás possui uma densidade de apenas 60% da do ar, ou seja, se há um vazamento, ele se dispersa imediatamente na atmosfera. Saiba mais sobre o combustível clicando aqui .

Testes

Antes de ser instalado em seu carro, o cilindro de GNV passou por testes hidrostáticos onde é submetido a pressões altíssimas e depois passou por testes de ultra-som, a fim de detectar falhas estruturais, Há testes de balística catalogados também. Sabemos que um cilindro de GNV suporta tiros de revólver calibre 38 e 45 e também que um tiro de fuzil militar pode fura-lo, fazendo com que o gás vaze pelo buraco. Nenhum tipo de projétil é capaz de explodir o cilindro.

No teste de colisão, o cilindro pode até amassar, mas nunca explodir.

Sinceramente? Com um cilindro de GNV atrás de suas costas, no porta-malas de seu carro, você está literalmente usando um colete à prova de balas.

Conservação

A cada cinco anos o cilindro precisa passar por uma requalificação em uma empresa reconhecida pelo Inmetro. Os testes hidrostáticos e ultra-som são feitos novamente, o cilindro é limpo, reformado, jateado, repintado e recebe uma nova data de validade e um novo selo do Inmetro comprovando sua nova validade por mais cinco anos.

Abastecimento

O abastecimento é feito em postos que possuem bombas de GNV. Confira a pressão no mostrador que está na bomba, ela não deve ultrapassar 250bar. Lembre-se que nem sempre irá caber a quantidade de gás declarada, pois o gás se expande com o calor e ocupa mais espaço. Veja mais sobre este assunto clicando aqui .

Montagem

O cilindro de GNV é montado em um suporte específico para seu carro, isto é, cada carro possui seu suporte. Assim, se você tem um suporte que estava em um Uno, por exemplo, este mesmo suporte não poderá ser utilizando em um Palio, por exemplo.

O suporte é homologado pelo Inmetro e precisa, portanto, possuir o selo deste órgão devidamente colocado em local visível.
Seu carro precisará ser furado para receber o suporte, que ficará fixado através de parafusos adequados e homologados pelo INMETRO, às longarinas ou chassis do seu carro.
cilindros no gol
   
.: Características Técnicas do Cilindro
  • Material: Aço Cromo Molibidênio AISI 4130, sem costura e com tratamento térmico de têmpera e revenido
  • Aprovados em testes de gunfire (arma de fogo) e bonfire (fogueira)
  • Ruptura hidráulica acima de 500 bar (fator de segurança 2,5x a pressão de serviço)
  • Teste cíclico com mais de 80.000 enchimentos à pressão de serviço
  • Roscas: ¾” 14 NGT
  • Certificação: - Norma ISO 4705D

Cuidados com o cilindro

  • Não utilize cilindros que não tenham sido projetados para o armazenamento de gás natural veicular e nem utlize-os em paralelo ao cilindro instalado
    Imagem de um acidente com explosão. Veja o cilindro de GNV INTACTO. Ao lado, o que sobrou do botijão de gás de cozinha usado como reservatório.
  • Não utilize os cilindros para armazenar qualquer outro tipo de gás
  • A instalação e remoção dos cilindros só poderá ser realizada por empresas homologadas pelo INMETRO
  • Só utilize acessórios com conexões compatíveis com a rosca especificada no certificado do cilindro
  • Em hipótese alguma exponha os cilindros a qualquer tipo de solda
  • Proteja os cilindros contra danos físicos como quedas, choques, etc
  • Não exponha os cilindros à umidade, sais ou ácidos
  • Todo cilindro exposto ao fogo, não poderá ser reutilizado e deverá ser encaminhado ao fabricante.
  • Não faça a transferência do gás GNV de um cilindro para outro
  • O enchimento dos cilindros só poderá ser feito por pessoal treinado e qualificado
  • Os cilindros são projetados para trabalhar na faixa de temperatura de – 20ºC à + 75°C
  • Os cilindros deverão ser requalificados a cada cinco anos, segundo os critérios estipulados pela norma NBR 12274, ou quando ocorrer danos que possam comprometer sua integridade

 

Saiba mais sobre a instalação clicando aqui .

Twit This!

 

Os tipos de kits | os preços | GNV para leigos | como chegar



 


Gás Point - FlashPoint Com. de Pneus, Autopeças e Serviços Ltda - direitos reservados - Fale conosco - Twitter